Natal em Curitiba com gostinho da Itália

Natal em Curitiba

Natal com gostinho da casa da nonna? Temos! É isso mesmo, pessoal. Conheci nesta semana, em Curitiba, o Fabiano Marcolini Alimentari. Uma mistura de empório com confeitaria e restaurante. Enfim, um ambiente aconchegante e que desde a entrada nos remete à Itália.

Fotos: Carolina Mainardes

O espaço fica na Praça da Espanha, um conhecido polo gastronômico da cidade também chamado de Batel Soho. A região tem vários lugares românticos e o Marcolini é, certamente, uma opção bem bacana para almoço ou um café com aquela companhia especial.

Praça da Espanha, em Curitiba

Nessa época do ano então, o local merece sobretudo uma visita. Você vai encontrar opções deliciosas, com destaque para o Pandoro – tradicional bolo italiano consumido especialmente nas festividades de fim de ano – e os panettones.

É, portanto, um convite para o Natal em Curitiba e para levar à mesa as saborosas tradições natalinas!

Natal em Curitiba com gostinho de Pandoro

Também conhecido como panettone italiano, o Pandoro é mais leve e amanteigado. O segredo, conforme Alaíde Marcolino – a esposa do chef Fabiano –, é o açúcar baunilhado, polvilhado sobre o doce na hora de servir.

Originário do Norte da Itália – de onde também se origina a família do chef do Marcolini –, o Pandoro é feito com farinha, ovos, manteiga e açúcar.

Foto: Divulgação

Mais alto do que o Panettone, sem as frutas cristalizadas e em formato de estrela, é uma opção sobretudo singular para as celebrações desta época do ano.

Alaíde revela que as formas de estrela usadas na confecção do Pandoro da Marcolini vieram da Itália, em uma das viagens do casal. A receita elaborada, com longo processo de fermentação natural para atingir a maciez necessária, é inegavelmente um desafio. “Pouquíssimos [chefs] fazem”, relata Alaíde.

Só de ver a imagem, aliás, já dá água na boca, não é mesmo?

História do Pandoro

O Pandoro é um doce típico de Verona, na Itália. Sua receita é patenteada desde 1894. Enfim, inegavelmente uma preciosidade. A história do Pandoro está, pois, ligada principalmente às tradições natalinas. Em resumo: antigamente, Verona fazia parte do território da República de Veneza, e era costume das famílias venezianas ricas encomendar doces cobertos com folhas de ouro para as festas. Portanto, é daí que vem o nome Pand’oro – “Pão de Ouro”.

Panettones

Chef Fabiano Marcolini – Foto: Divulgação

Outra especialidade da casa são os panettones. Bem originais, também com processo de fermentação natural, são feitos com doce de laranja e de limão em cubos, preparados especialmente para a receita.

Essa é realmente uma das meninas dos olhos do Marcolini, que fabrica os panettones desde a abertura do local, há 22 anos.

Dois sabores fazem parte do cardápio fixo e são servidos em fatias para os clientes: tradicional de frutas e chocolate belga ao leite com chocolate meio amargo. Você pode escolher se quer que esquente levemente ou não. Panettone fresquinho em qualquer época do ano… quem não quer?

Desse modo, para o fim do ano a produção de panettones é intensificada. O “queridinho” do chef é o de laranja, chocolate e amêndoas. Dá para imaginar o sabor!

O chef também prepara o panettone no formato mais baixo, com 750 gramas – típico do Norte da Itália.

Alaíde compartilha com a gente os detalhes da receita que fazem a diferença: fermentação lenta, farinha italiana, manteiga de primeiríssima qualidade e as formas italianas.

Foto: Divulgação

Achou que isso era tudo? O Marcolini ainda preprara três sabores de panettone salgado. Para aquecer em forno convencional, rasgar com as mãos e provar com azeite de oliva. Mio Dio!

História do Panettone

Mais de uma história está relacionada ao surgimento do Panettone. Uma delas então liga o doce a uma história de amor impossível entre Ugo, escudeiro do duque de Milão, e Adalgisa, filha de um padeiro. Para encantar a moça, por quem Ugo se apaixonou, ele decide ir trabalhar na padaria do pai dela e acaba modificando a receita do pão colocando manteiga, açúcar, ovos e uvas passas.

Outra história da mesma forma ligada a esse tradicional pão natalino conta que Antonio, ajudante de padeiro, queimou os pães da ceia de Natal, então nesse ínterim preparou outro com ovos, açúcar, manteiga e frutas secas. E assim ficou conhecido como “Pan di Toni” – Panettone.

Decor italiano

Visitar o Fabiano Marcolini Alimentari é, antes de mais nada, entrar em contato com vários ícones da cultura italiana – e não estou falando apenas de gastronomia.

A decoração do espaço é toda inspirada na Itália. Do ramo de manjericão colocado delicadamente em cada mesa aos móveis e adereços dos balcões e das paredes.

Referências como Pinóquio, Ferrari, região do Vêneto, bem como vinhos, queijos, massas e embutidos estão por toda parte.

Cardápio

Além disso, no cardápio da casa as massas se destacam. Spaghetti, fettuggine, tagliolini, fusili, tagliatelli, gnocchi estão entre as opções. Você também encontra as massas grano duro feitas pelo chef, a fim de  preparar em casa.

Minha escolha no cardápio para o fim de tarde foi uma quiche de tomate seco com rúcula, acompanhada de chá italiano gelado. Em seguida, provei o bolo de Natal inglês. Sem dúvida, uma delícia!

Mas as opções são muitas, isto é, de café da manhã a pratos para uma refeição ou mesmo um lanche. Pães, sanduíches, salgados e ainda mais uma variedade de doces são servidos no local.

O cannoli siciliano é outro destaque da casa. Com o tradicional recheio de doce de leite ou ainda pistache, ricota ou zabaione, é de encher os olhos e de atiçar o paladar!

Foto: Divulgação

Ceia de Natal

O Marcolini ainda prepara dois menus especiais para as festas de fim de ano, com ceias de Natal e Ano Novo para encomendas. Peru, Chester, tender, lombo e muitas outras opções para quem prefere levar algo pronto para essas ocasiões e, dessa maneira, curtir ainda mais os momentos com a família.

E todo o cardápio, logicamente, é recheado com especialidades italianas: antipasti variados, pastas, queijos, pães, massas e as estrelas da casa: Pandoro, panettones e cannolis.

Além outras opções de bolos e tortas tradicionais: Stolen, Bûche de Noël, fios de ovos e variedade de doces e salgados.

Enfim, acredite, ir ao Marcolini é uma experiência saborosa e que traz um gostinho da Itália para os frequentadores! Além disso, uma ótima experiência de Natal em Curitiba.

E vocês, já conhecem o Pandoro? Confesso que ainda não experimentei, mas já encomendei o meu para a ceia de Natal, afinal tenho um lado da família com descendência italiana.

Buon Natale e felice anno nuovo!

Serviço

Fabiano Marcolini Alimentari

Al. Dr. Carlos de Carvalho, 1181

Batel Soho

Aberto todos os dias

Segunda das 7 às 21h

Terça a sábado das 7 às 22h

Domingos e feriados das 8 às 21h

Até a próxima!

LEIAM AQUI A MINHA COLUNA ANTERIOR SOBRE A RUA PAGU!

About Carolina Mainardes

Jornalista que adora histórias e lugares inspiradores! Tem paixão por arte, programas culturais, viagens e bons livros. Gosta de fazer novas descobertas ao caminhar pelas cidades. É especialista em História e Cultura, praticante de yoga e estudante de Francês – oui! Quer dividir por aqui momentos e dicas de lugares românticos de Curitiba, a capital mais fria, mas mais charmosa, do Brasil!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *