Programa Romântico: 5 filmes para curtir o escurinho do cinema a dois

Cinema é programa romântico por excelência, não é mesmo? Então eu preparei para vocês uma listinha com 5 filmes que estão em cartaz aqui em Belo Horizonte. Espero que gostem deles tanto quanto eu! Se você não mora em BH, há uma imensa probabilidade de que os filmes estejam em cartaz na sua cidade também! Procurem nos cinemas mais próximos de vocês. Bora lá?

Cinema de rua: Cine Belas Artes

Aproveito não só para indicar filmes, mas também para indicar um cinema em particular. Um dos cineminhas mais românticos de Belo Horizonte é o Cine Belas Artes. Ele fica na rua Gonçalves Dias esquina com Bahia, pertinho da Praça da Liberdade. Ali vocês tem um programa romântico completo: passeio na praça, Milk Shake no Xodó, pipoquinha de carrinho na rua e um cinema charmosíssimo.

O local tem uma livraria linda na entrada e o Scada Café: lugar de perdição! Sempre como um petit gateau quando passo por lá. Este cinema para mim tem cheiro de romance. Não percam a oportunidade de transformar a ida ao cinema em algo mais do que um passeio no shopping.

Assista no Cine Belas Artes:

É importante dizer que lá é um cinema que privilegia filmes que normalmente estão fora dos circuitos tradicionais. Nem todos são assim. Um bom exemplo são as minhas indicações de hoje. Mas isso vale para a maioria das exibições de lá. Entretanto, não se acanhem: não é porque um filme não está em cartaz em um multiplex que ele não será legal. No Belas Artes vocês tem a oportunidade de conhecer várias produções nacionais, europeias e de outras partes do mundo que não veriam em outros cinemas. Aconselho fortemente a experiência, ela sempre surpreende!

Lá no Cine Belas Artes estão sendo exibidos 2 dos 5 filmes que vou indicar hoje. Espero que gostem!

1. Mudbound – Lágrimas Sobre o Mississippi (Estados Unidos – 2017)

lugares-românticos-cinema-lágrimas

Foto de Divulgação

Drama belíssimo dirigido pela cineasta americana Dee Rees, baseado no livro homônimo de Hillary Jordan. A história se passa após a Segunda Guerra e discute vários temas polêmicos. Racismo, inferioridade da mulher em uma família americana da época, luta de classes, traumas de guerra, são apenas algumas das problemáticas que prendem a nossa atenção durante as pouco mais de 2h de filme.

A história começa de mansinho com Laura (Carey Mulligan), que conhece e se casa com Henry McAllan (Jason Clarke) e vai morar em sua fazenda no Delta do Rio Mississipi. É nessa mudança que o filme nos mostra a que veio. Laura tem dificuldades para se adaptar à vida rural. Paralelamente a isso, dois veteranos da guerra, um negro e um branco, um filho do fazendeiro e o outro filho dos caseiros, trabalham na fazenda. Acompanhamos o desenrolar desta amizade, não obstante todos os fatores sociais que estão contra ela. Ambos traziam na alma os traumas da guerra e através desta convivência, passaram a dividir experiências e ideologias.

Não quero aqui fazer uma grande resenha ou crítica do filme. Achei que valeu minha ida ao cinema. Ele está em cartaz no Cine Belas Artes, mas também no Cineart Del Rey e no Shopping Cidade! Confiram os horários e bom divertimento!

2. Três Anúncios Para Um Crime (Estados Unidos/ Reino Unido – 2017)

 

Aqui, cheguei ao cinema achando que assistiria a um drama de temática pesada. Mas enganei-me em parte. O filme de fato conta uma história triste e pesada. Mas acabei sendo surpreendida por sequências absurdas recheadas de humor negro. Perguntem se adorei isso?

A trama é simples: Mildred Hayes (Frances McDormand) teve a filha brutalmente violentada e assassinada. O criminoso não foi encontrado pela polícia local, não obstante tenham se passado 7 meses do ocorrido. Ao perceber que o caso estava sendo negligenciado pelos representantes da lei, ela aluga 3 outdoors em uma estrada pouco movimentada da pacata Ebbing, cidadezinha no Missouri. Nesses anúncios ela exige justiça ao xerife Bill Willoughby (Woody Harrelson). A sua inesperada atitude repercute em toda a cidade e suas consequências afetam várias pessoas, especialmente a dela e a do xerife.

O papel de Frances McDormand é extremamente forte. Ela se apresenta como uma mulher durona, implacável, boca suja, com comportamentos impulsivos e um senso de justiça que é só seu. Não obstante toda essa rudeza, do jeito dela, ela consegue ser amorosa. A gente fica o filme inteiro amando, se espantando e sentindo compaixão por aquela mãe que sofre.

O filme, que tem quase 2h de duração, é dirigido por Martin McDonagh e pode ser visto no Cine Belas Artes, no Pátio Savassi e no Ponteio Lar Shopping. Gostaram da dica? Confiram os horários e bom filme pra vocês!

Outros filmes em outros cinemas

 

3. A Forma da Água (Estados Unidos – 2017)

 

Cinema a dois merece uma love story! Pela sinopse, A Forma da Água é uma história surreal e fantástica. Entretanto, por seu diretor ser o mexicano Guillermo del Toro, eu soube que ali existiriam motivos de sobra que fariam com que eu amasse aquelas 2 horas no cinema. E sim, apesar do ar fantástico do enredo, temperado com a delicadeza na escolha do filtro azul da fotografia, essa é uma história de amor.

A trama se desenvolve nos Estados Unidos dos anos 1960, época de conflitos políticos e transformações sociais. Neste pano de fundo, temos uma personagem encantadora chamada Elisa Esposito (Sally Hawkings) que é muda e trabalha como zeladora em um laboratório experimental secreto do governo. Um dia, ela é escalada para limpar uma sala onde é mantida uma criatura fantástica que havia sido capturada na América do Sul.

A partir daí, nasce uma afeição dela por esse ser difícil de ser definido. Ela percebe que a criatura tem sentimentos, capacidade de comunicar e ambos criam um laço de afeto. Uma série de eventos se desencadeiam na trama e fazem com que ela queira libertá-la daquele lugar. A esse ponto a zeladora já estava amando aquele ser. Para realizar esse resgate, ela conta com a ajuda de um amigo e de uma colega de turno.

Achei o filme lindo! Isso porque no fundo, todos nós torcemos por amores impossíveis. Quem ama o feio, bonito lhe parece, não é verdade? Já vimos isso antes em outras histórias. A película de Del Toro é uma ode aos renegados. Traz esperança aos corações daqueles que acham que não se encaixam no mundo. Fora isso, as referências que o filme faz aos musicais são deliciosas! Até Carmen Miranda aparece ali de gaiata. Não vou mais dar spoiler. O filme merece ser visto!

Onde assistir

Vocês poderão assistir o filme nas redes Cinemark e Cineart. Ele está disponível na rede Cinemark do Pátio Savassi, do BH Shopping e do Diamond Mall. Na rede Cineart ele está disponível no Boulevard Shopping, Shopping Contagem, Ponteio Lar Shopping, Shopping Cidade. Escolham o que estiver mais perto de vocês e bom filme!

4. The Post: A Guerra Secreta (Estados Unidos – 2017)

Este é o filme que toca os corações jornalísticos tomados pelo romantismo que inunda a alma dos calouros na profissão. A impressão que tive ao final da exibição foi que testemunhei, ao longo de quase 2h, uma instigante reunião de pauta. Steven Spielberg rodou a película em tempo recorde: Ele foi anunciado em março de 2017, filmado em maio e ficou pronto a tempo da temporada do Oscar. Em seu elenco temos Meryl Streep no papel de Kat Graham, diretora do The Washington Post e Tom Hanks na pele de Ben Bradlee, editor chefe do jornal.

A trama, baseada em uma história real, se passa nos anos de 1970. Conta parte da história do Washington Post, que de pequeno jornal ligado à Casa Branca, passou a um diário de prestígio na imprensa americana. Os fatos relatados no filme são anteriores às investigações do caso Watergate, também feitas pelo jornal. No finalzinho do filme eles carinhosamente flertam com esse furo, fazendo-me lembrar de Todos os Homens do Presidente, de Alan J. Pakula de 1976.

A história de The Post é simples: Os editores do jornal recebem um estudo sobre o controverso papel dos Estados Unidos na Guerra do Vietnã. Com a papelada em mãos, eles enfrentam de tudo para publicar os bombásticos documentos. Em meio a muito corre-corre, brigas na justiça, é bastante clara a mensagem de que a imprensa não se dobra nem diante do presidente dos Estados Unidos. Terá sido esse um recado velado ao impopular atual presidente do país?

Dou destaque especial ao papel de Meryl Streep: ela era uma mulher, nos anos 1970, em uma posição de poder, brigando com o mundo machista e se provando capaz. Isso se desenrola bem ao longo do filme e confesso que fez com que eu gostasse ainda mais dele.

Onde assistir

Estão esperando o que para correr para o cinema e assisti-lo? Ele está disponível no Cineart Ponteio Lar Shopping e no Cinemark Pátio Savassi.

5. Lady Bird: A Hora de Voar (Estados Unidos – 2017)

 

Eis um filme que fui assistir sem expectativas, mas que conquistou meu coração! Ele aparenta ser mais uma historinha sobre uma adolescente rebelde que está se tornando adulta. Mas ele vai além dos clichês.

Christine McPherson (Saoirse Ronan) tem 17 anos e está no último ano do colégio. Ela quer muito fazer faculdade longe de casa. Entretanto, sua mãe (Laurie Metcalf) é contrária à ideia. Lady Bird é a forma como a garota quer ser chamada. Ela é uma adolescente geniosa, que se acha especial, apesar de não ser tão popular na escola. Por ser cabeça dura, não se dá por vencida e leva o plano de ir embora adiante mesmo com tudo e todos contra. Enquanto sua hora não chega, ela se divide entre as obrigações estudantis no colégio católico, o primeiro namorado, rituais de passagem para a vida adulta e inúmeros desentendimentos com a mãe.

A narrativa do filme não permitiu que essa temática relativamente batida fosse tratada de forma ordinária. O filme não erra no tom, não cai no melodrama e nem vai para o lado de uma comédia qualquer. As brigas entre mãe e filha mostram um abismo comunicacional entre elas. Mas o que deixa esses conflitos mais especiais para os espectadores, são os diálogos espontâneos e hilários entre as duas. A filha, sonhadora, nem sabe por onde começar a realizar o que deseja. A mãe, pragmática, cumpre dupla jornada no trabalho e enxerga a vida com menos cores.

Tornar-se adulto é um processo doloroso, cheio de desilusões e descobertas. O papel da mãe é trazer a filha à realidade. Por outro lado, se não pudermos sonhar e tentar correr atrás de nossas aspirações em tenra idade, quando nos tornamos adultos desaprendemos ou simplesmente não temos mais coragem para fazê-lo. Vale muito a ida ao cinema!

Onde assistir

O filme foi a estreia da atriz Greta Gerwig na direção. O roteiro também é assinado por ela. Ele pode ser visto no Cinemark Diamond Mall ou no Cineart Boulevard Shopping. Preparem as pipocas e bom divertimento!

Por hoje vou ficando por aqui! Fiquem ligados aqui no blog para mais dicas como essa!

Até a próxima!

About lugaresromanticos

Um blog que traz inspirações românticas para o seu cotidiano. Um convite a transformar a rotina de casais em momentos memoráveis. A rotina pode matar o amor, mas um olhar romântico para a vida, mesmo que seja de vez em quando, abre novos horizontes de felicidade e reforça laços verdadeiros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *